Pesquisar
Close this search box.

Projetos de energia solar exigem integradores de qualidade

Mercado brasileiro tem mais de 21 mil empresas no segmento, mas o consumidor deve tomar certos cuidados na hora de assinar o contrato

Nos últimos anos, um dos mercados que mais cresceu no Brasil é o de energia solar, devido ao aumento da demanda por empresas, condomínios e consumidores em geral. Consultorias especializadas estimam que o segmento no país tenha, atualmente, 21.200 empresas, também chamadas de integradoras, que cuidam do projeto, da montagem e da instalação dos sistemas fotovoltaicos à rede. Elas são um elo fundamental entre as distribuidoras de equipamentos e os clientes. No entanto, na hora de contratar um projeto como esse, que requer um considerável investimento, é preciso tomar alguns cuidados.

“Este é um mercado muito fragmentado. Devido à crise, muita gente entrou, e boa parte sem o devido preparo. Mesmo sem muita prática, começaram a atuar como integradores. Apesar de atenderem bem, num primeiro momento, a médio e longo prazo, a tendência é que nem todas essas empresas consigam se manter, e o prejudicado vai ser o consumidor, que continuará precisando de manutenções e ajustes nos equipamentos”, analisa Giuliano Loureiro, CEO da Servis Tecnologia em Segurança.

Dessa forma, a recomendação para o consumidor é procurar empresas que tenham estrutura e experiência no mercado e possam prestar assistência técnica sempre que for necessário. “Depois de instalados, os equipamentos possuem garantia, mas sempre necessitam de manutenção ou limpeza. E o técnico que os instalou deve sempre estar à disposição do cliente”, orienta Giuliano Loureiro. “Como é um sistema que vai gerar energia durante os próximos 20 anos, o consumidor precisa pesquisar bem, antes de assinar o contrato, porque a tecnologia, por mais avançada que seja, sempre precisa de manutenção e ajustes”, recomenda o CEO da Servis Tecnologia em Segurança.

Projetos

Do ponto de vista técnico, os projetos de energia solar para condomínios residenciais ou comerciais são os mesmos instalados em casas ou empresas. “O projeto começa considerando o consumo mensal de energia do condomínio, daí mensuramos a quantidade de placas solares necessárias para atender a essa demanda. A partir da instalação do equipamento, é feito o projeto, aprovado junto à concessionária, que reconhece aquela injeção de energia no sistema, gerando um desconto na conta do condomínio”, descreve Giuliano Loureiro, CEO da Servis Tecnologia em Segurança.

Ele acrescenta que normalmente os projetos são elaborados para zerar a conta do consumo, e o condomínio fica pagando à concessionária somente as taxas de manutenção e de uso da rede elétrica.

Compartilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Novidades:

Posts Relacionados