Pesquisar
Close this search box.

Em Fortaleza, 15 prédios com mais de 35 anos foram interditados com riscos de desabamento

Em Fortaleza, 15 prédios foram interditados pela Defesa Civil após vistorias em que foram identificados riscos de desabamento. As interdições ocorrem entre julho de 2021 e outubro de 2022 pelo Núcleo de Ações Preventivas (Nuprev), que vistoriou 276 imóveis com mais de 35 anos de construção na Capital.

Entre os imóveis, 85 foram vistoriados no Centro de Fortaleza, sendo um, construído em 1960, interditado pelo órgão. O proprietário do local foi notificado para fazer obras de restauração da edificação.

O balanço dos demais prédios interditados não foi divulgado pela Defesa Civil. A chefe do Nuprev, Margareth de Paula, informou que, para manter a segurança dos prédios, é necessário realizar a manutenção preventiva.

“Dependendo da idade [prédios], quanto mais velho a edificação menor é o período de tempo para fazer a manutenção, conforme a legislação da inspeção predial”, explica.

Ainda segundo Margareth, durante as vistorias, o Nuprev também busca pela Certificação de Inspeção Predial no imóvel e, caso não se apresente, a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) é comunicada para que seja feita a fiscalização.

Durante as vistorias, é importante observar os graus de risco, que são identificados pelos agentes no momento da visita. Eles podem ser definidos como: crítico, com intervenção imediata; médio, com programação e intervenção a curto prazo; e mínimo, com programação e intervenção a médio prazo.

O doutor em Engenharia Civil pela Universidade de São Paulo (USP) e professor do departamento de Engenharia Estrutural e Construção Civil da Universidade Federal do Ceará (UFC), Augusto Teixeira, alerta que as pessoas evitem acreditar que uma edificação possui uma vida longa e que não há tanta necessidade de manutenção.

O especialista orienta que a população fique atenta a manifestações patológicas, principalmente nas peças estruturais, como os pilares, vigas, lajes e nas alvenarias. O engenheiro pontua que deve-se consultar um profissional da Engenharia Civil para buscar maior segurança predial a partir dessas observações.

“Um profissional que entenda da estrutura do prédio para ele avaliar se há uma manifestação visual que mereça que seja feita uma investigação mais profunda. No mercado, a gente observa a prática da pessoa chamar, às vezes, até uma pessoa que não é engenheira e que, muitas vezes, já foi feita um reparo antes, só que amador, o que não pode ocorrer”, pontua.

A Defesa Civil informa que, em caso de qualquer risco, o órgão deve ser acionada via Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), por meio do número 190. Os agentes trabalham em regime de plantão, 24 horas, para atender as demandas da população.

Após o recebimento da chamada, os agentes seguem até o endereço da ocorrência para fazerem uma vistoria e, dependendo do caso, a edificação poderá ser interditada ou não.

Na sequência, os agentes elaboram um relatório técnico e encaminham ao proprietário, que será instado a fazer as obras necessárias para solucionar a situação.

Confira dicas de segurança predial

Fonte: O POVO

Compartilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Novidades:

Posts Relacionados