Pesquisar
Close this search box.

Conscientização da Eliminação da Violência contra a Mulher

A Violência Doméstica é uma pauta que está em evidência na sociedade, sendo uma luta travada há algum tempo pelas mulheres e simpatizantes da causa: Consientização da ELIMINAÇÃO da violência conta a mulher.

Segundo um artigo da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a violência contra a mulher continua assustadoramente disseminada e a Organização Mundial da Saúde (OMS) traz o dado de que uma a cada três mulheres sofre violência física (espancar, atirara objetos, sacudir, apertar o braço…) ou sexual (obrigar a mulher a fazer atos sexuais que causam desconforto ou repulsa, impedir uso de métodos contraceptivos ou forçar aborto, limitar ou anular exercícios dos direitos sexuais e reprodutivos da mulher…) por parte de seu parceiro. Nesse número não está inserido violência psicológica (ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, insulto, chantagem…), moral (causa de traição, críticas mentirosas, desvalorizar pelo modo de se vestir, expor a intimidade…) e patrimonial (controlar o dinheiro, destruir documentos pessoais, privar de bens, causar danos propositais a objetos da mulher ou dos quais ela goste….) que também são considerados crime previsto na Lei Maria da Penha – Capítulo II, art. 7°, incisos I, II, III, IV e V.

Quando a mulher sobre violência, a ação pode trazer danos a qualidade de vida. A violência psicológica é a violência mais frequente e, provavelmente, a menos denunciada. Normalmente esse tipo de atitude não começa no primeiro encontro, tudo acontece de forma gradativa, de forma branda e silenciosa, muitas vezes a vítima nem percebe que está sendo violentada. O propósito do agressor é deixá-la fragilizada e com baixa autoestima através de insultos para depois partir para a agressão física. Ele a afasta da sua rede de apoio, familiares e amigos, para ela só ter ele a quem recorrer. Esse tipo de situação vivida pode trazer consequências críticas, de difícil reparação e até irreversíveis deixando-a com o risco de sofrer problemas mentais como depressão, ansiedade, alcoolismo e até suicídio.

A psicoterapia chega até essas mulheres como um apoio a ressignificação de tudo o que passou e também como aliada na restauração da autoestima e dos vínculos afetivos. É um trabalho lento, mas é também um a chance para uma nova vida.

No entanto essa não é e não deve ter o engajamento só das mulheres, mas de toda coletividade. A conquista e os avanços de medidas que visam garantir a segurança e a proteção da mulher são um marco na história da sociedade e têm sido ferramentas importantes no enfrentamento à violência contra este público. No Estado do Ceará, já está em vigor a lei nº 17.211/2020, determinando que a administração de condomínios comunique à Delegacia de Polícia e aos órgãos de segurança pública especializados em casos ou indícios de violência contra a mulher nas unidades residenciais e em áreas comuns. A medida, que também é aplicada em casos de violência contra crianças, adolescentes e idosos, deve ocorrer quando houver registro da violência praticada no livro de ocorrências do condomínio.

É importante que a vítima busque apoio, procurar a Delagacia da Mulher (equipe formada por mulheres) e denúncie o agressor. A população também pode denunciar, em caso de emergência ligue para:

LISTA ÓRGÃOS REDE DE ATENDIMENTO ÀS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

  • CENTRAL DE ATENDIMENTO À MULHER
    180
  • POLÍCIA MILITAR
    190
  • DELEGACIA DE DEFESA DA MULHER – DDM
    (85) 3108-2950 (24h)
    E-mail: [email protected]
  • MINISTÉRIO PÚBLICO
    (85) 98685-6336/3108-2940/3108-2941
    E-mail: [email protected]
    [email protected]
  • JUIZADO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER DE FORTALEZA
    (85) 98822-8570/98597-7670/3108-2971
    E-mail: [email protected]
  • NÚCLEO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER
    (85) 98560-2709/99294-2844/3108-2986
    E-mail: [email protected]
  • CASA DA MULHER BRASILEIRA
    (85) 3108-2998 / 3108-2999 / 3108-2992 / 3108-2931
    E-mail: [email protected]
    [email protected]
  • CENTROS DE REFERÊNCIA ESTADUAL E MUNICIPAL (ATENDIMENTO PSICOSSOCIAL)
    CRM – (85) 99648-4720/3108-2965
    E-mail: [email protected]
    CERAM – (88) 99935-5102/(85) 3108-2966
    E:mail: [email protected]

O que é politico e público, não se cale, denuncie!


Cyntia Trindade
Psicóloga Clínica
CRP: 11/16719
Atendimento: idoso, adulto, adolescente e criança.
Atendimento presencial e online
Telefone: (85) 9 87821234
Insta: cyntia.psi

Compartilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Novidades:

Posts Relacionados